Card image
Competições
Miller é operado, mas não deve perder próxima etapa da MotoGP

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 07/04/2021
  • Atualizado: 08/04/2021 às 12:03
  • Por: Willian Teixeira

Após estrear pela equipe de fábrica da Ducati nos GPs do Catar e de Doha, o australiano Jack Miller foi submetido a uma cirurgia na última terça-feira, dia 6  de abril, para corrigir uma síndrome compartimental em seu antebraço direito.

Também conhecida como arm pump, a síndrome compartimental é um problema frequente em pilotos de moto. Ela é resultado do aumento da pressão em determinada parte do corpo, limitações funcionais ao membro afetado, como dor e perda de força.

Miller foi operado pelo Doutor Xavier Mir em Barcelona, e ficará em observação por 24 horas antes de iniciar sua reabilitação, que pode levar até três semanas. Porém, a Ducati espera que o piloto da moto de número #43 tenha condições de entrar em pista para a disputa da terceira etapa da MotoGP, o GP de Portugal, programado para ser disputado entre 16 e 18 de abril.

O australiano destaca que a se sente bem após a realização da cirurgia, e não vê a hora de iniciar sua reabilitação. “Se as etapas ocorrerem normalmente poderei voltar às pistas já em Portugal. Agradeço ao Dr mir e a todos os envolvidos em meu procedimento pela disponibilidade e pelo atendimento”, finaliza.

Acompanhe a MOTOCICLISMO também pelas redes sociais!
– 
Instagram – Facebook – YouTube – Twitter

Assim como Miller, o espanhol Iker Lecuona, da Tech3 KTM, também foi submetido a um procedimento para tratar de arm pump.

Com dois nonos lugares nas duas primeiras etapas da MotoGP disputadas no Catar, Miller ocupa a 9ª colocação do campeonato, com 14 pontos. O francês Johann Zarco, da Pramac, lidera a disputa com 40 pontos, seguido por seu compatriota Fabio Quartararo e pelo espanhol Maverick Viñales, ambos da Yamaha e com 36 pontos. Já Lecuona não pontuou nas duas provas.

Conteúdo Recomendado

Comentários