Card image
Competições
KTM garante presença na MotoGP até 2026

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 13/01/2021
  • Por: Willian Teixeira

A KTM anunciou a renovação de seu contrato com a MotoGP por mais cinco temporadas, garantindo presença na principal categoria do Mundial de Motovelocidade até 2026. A marca austríaca estreou no campeonato em 2017, e seu atual vínculo com a elite da motovelocidade mundial se expirou em 2021.

Antes de estrear na MotoGP, a KTM já havia vencido provas na Moto3, onde esteve presente desde 2012, e na Moto2, categoria na qual competiu por três anos.

KTM garante presença na MotoGP até 2026
Brad Binder venceu primeira corrida da KTM na MotoGP (Divulgação)

Veja também:
Por Covid-19, testes da MotoGP na Malásia são adiados
Yamaha leva garotos ao mundial de superbikes
Quem tem o melhor time para 2021 na MotoGP?

“Estou feliz por anunciar este novo contrato. Depois de apenas algumas temporadas, colocamos nosso projeto em uma base muito sólida, por isso é um passo positivo para continuar nosso envolvimento com a MotoGP até 2026” comenta Pit Beirer, Diretor da KTM Motorsport.

Em 2017, a Red Bull KTM Factory Racing fez sua primeira temporada com o espanhol Pol Espargaró e o britânico Bradley Smith, dupla que se repetiu em 2018 e obteve o primeiro pódio laranja na MotoGP, com Espargaró no GP de Valência.

O ano de 2019 teve como novidades foram a estreia da equipe satélite Tech 3, que teve como pilotos o malaio Hafizh Syahrin e o português Miguel Oliveira. Já na equipe principal, Johann Zarco entrou no lugar de Smith, mas o francês não se adaptou a moto da KTM e deixou o time antes mesmo do final da temporada, sendo substituído pelo finlandês Mika Kallio.

KTM garante presença na MotoGP até 2026
Miguel Oliveira celebra vitória no GP da Estíria, a segunda da KTM na MotoGP (Divulgação)

Acompanhe a MOTOCICLISMO também pelas redes sociais!
– Instagram – Facebook – YouTube – Twitter

Já em 2020, ano em que a KTM viveu sua melhor temporada na MotoGP, os pilotos do time de fábrica foram o estreante Brad Binder e o espanhol Pol Espargaró, enquanto a Tech 3 contou com Oliveira por mais um ano e Iker Lecuona como companheiro do português. O primeiro triunfo da marca austríaca na MotoGP foi obtido pelo sul-africano Binder no GP da República Tcheca, enquanto os outros dois foram conquistados por Miguel Oliveira nos grandes prêmios da Estíria e de Portugal.

Para 2021, novas mudanças na KTM: Miguel Oliveira substituirá Pol Espargaró na equipe de fábrica, tendo Binder como companheiro, enquanto na Tech 3 o experiente piloto italiano Danilo Petrucci, que deixou a Ducati, se junta ao jovem Lecuona.

Conteúdo Recomendado

Comentários