Card image
Competições
Honda CBR 1000RR: Da rua para a pista

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 24/07/2014
  • Por: admin

<p><img alt="" src="http://carroonline.terra.com.br/motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/Motociclismo Honda CBR 1000 RR Maico Teixeira foto William Lucas (9)_640x408.jpg" style="height: 223px; width: 350px;" /></p>

<p>Confira informações técnicas sobre as diferenças da Honda CBR 1000RR Fireblade original, disponibilizada nas concessionárias da marca, para a moto de competição, pilotada por Maico Teixeira, no campeonato SuperBike Series Brasil. A "dupla" da Equipe Honda Mobil foi campeã na categoria principal, a SuperBike Pro, em 2013, lidera a temporada de 2014, e detêm o recorde das motos no Autódromo de Interlagos (cujo nome oficial é Autódromo José Carlos Pace), em São Paulo, SP, após percorrer os 4 309 metros do circuito paulista em apenas 1min36s366 durante os treinos para a quarta etapa do campeonato.</p>

<p><img alt="" src="http://carroonline.terra.com.br/motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/Motociclismo Honda CBR 1000 RR Maico Teixeira foto Luiz Pires (1)_640x408.jpg" style="height: 319px; width: 500px;" /></p>

<p>Em 2014, Interlagos não receberá mais nenhuma etapa de competições de motovelocidade, então, até a próxima corrida, em 2015, a Honda CBR 1000 RR, sob o comando do piloto Maico Teixeira é a moto mais veloz de Interlagos.</p>

<p>Confira abaixo o que foi modificado na moto utilizada na competição.</p>

<p><strong>Na ciclística</strong></p>

<p>Na suspensão dianteira, é substituído somente o cartucho interno original, por um da marca Öhlins, que permite ajustes mais precisos nos diferentes circuitos onde o campeonato é realizado. Já a suspensão traseira tem o amortecedor completo substituído por outro também da marca Öhlins. A altura da moto pode ser alterada. É o que permite mudar a geometria e progressividade da moto conforme os circuitos. O freio dianteiro monta uma nova bomba e discos flutuantes da marca Brembo. Com isso, melhora a qualidade e controle nas frenagens. As carenagens são substituídas por peças de fibra de vidro, para baixar o peso da moto.</p>

<p><strong>No motor</strong></p>

<p>A admissão do motor recebe modificações para melhor aspiração e os comandos de válvulas e molas são substituídos por outros que permitem melhor rendimento em altos regimes de rotações. A compressão é elevada através de trabalhos realizados nos pistões e câmara de combustão. Virabrequim, bielas e volante são trabalhados para melhorar as acelerações e vibrações. Com as mudanças, o motor tetracilíndrico, que originalmente desenvolve potência de 178,1 cv a 12 000 rpm, passa a render cerca de 200 cavalos de potência.</p>

<p><img alt="" src="http://carroonline.terra.com.br/motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/Motociclismo Honda CBR 1000 RR Maico Teixeira foto Luiz Pires (4)_640x408.jpg" style="height: 319px; width: 500px;" /></p>

<p><strong>Na eletrônica</strong></p>

<p>É substituída a instalação elétrica por uma HRC elaborada pela própria Honda, somente para uso de competição. Com isso, a moto recebe uma nova central eletrônica, que acompanha um controle de tração que pode ser ajustado vários parâmetros, como mapas de injeção, ignição e intensidade do controle de tração, conforme condições climáticas e circuitos. Todos esses parâmetros podem ser variados pelo piloto, com um único comando localizado no guidão esquerdo.</p>

<p><img alt="" src="http://carroonline.terra.com.br/motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/Motociclismo Honda CBR 1000 RR Maico Teixeira foto William Lucas (8)_640x408.jpg" style="height: 319px; width: 500px;" /></p>

<p>Para ver esta veloz dupla em ação, confira o calendário do campeonato SuperBike Series Brasil no site <a href="http://www.superbike.com.br">www.superbike.com.br</a>. A próxima etapa será realizada em Goiânia, GO, no dia 17 de agosto.</p>

Conteúdo Recomendado

Comentários