Card image
Competições
Dakar 2015: 5 vezes Marc Coma!

5 Minutos de leitura

  • Publicado: 18/01/2015
  • Por: admin

<p><span style="font-size: 13px; line-height: 1.6em;">Acabou o Rally Dakar 2015. Foi assim o pentacampeonato do espanhol Marc Coma nas motos do Rally Dakar, conquistado neste sábado (17), em Buenos Aires (ARG), depois de 14 dias de aventura pela América do Sul. O piloto da KTM confirmou o favoritismo ao terminar a 37ª edição da prova com quase 17 minutos de vantagem para o segundo colocado, o português Paulo Gonçalves, da Honda. O estreante Toby Price (AUS), também da KTM, completou o pódio da categoria.</span></p>

<p><img alt="Festa de Marc Coma, e da equipe KTM, que faturou o 14º título no Dakar" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/comatextosite_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Apesar de ter vencido apenas uma das 13 etapas disputadas em 2015, Coma usou sua experiência e habilidade para estar durante todo o trajeto percorrido pela Argentina, Chile e Bolívia no pelotão de frente. Ele finalizou todos os trechos cronometrados entre os nove primeiros. Além da vitória no quinto dia, o competidor da equipe austríaca concluiu quatro estágios em segundo, dois em terceiro, um em quarto e quinto. Coincidentemente, a pior colocação do espanhol no Dakar foi justamente a que lhe deu a liderança no acumulado das motos. Até então vice-líder da prova, seis minutos atrás de Joan Barreda, da Honda, Coma viu seu compatriota ter um dia terrível durante a oitava etapa, que passou pelo Salar de Uyuni, na Bolívia, e teve como destino Iquique, no Chile. Assim, o piloto da KTM, que completou o trecho apenas em nono lugar, assumiu o primeiro posto na classificação geral e não largou mais.<br />
<br />
<img alt="Marc Coma, que com o quinto título na categoria igualou a marca do francês Cyril Despres, seu ex-companheiro de time, ajudou a aumentar a dinastia da KTM na competição" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/comafacebootexto_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /><br />
A 13ª e última etapa, que contou com apenas 101 km de especial por causa da forte chuva, que deixou o percurso muito escorregadio, visando preservar os pilotos (originalmente eram 174 km), terminou com dobradinha eslovaca, da KTM. Ivan Jakes venceu pela segunda vez na atual edição, 45 segundos a frente de Stefan Svitko. Toby Price acabou em terceiro, seguido de Paulo Gonçalves e Marc Coma.</p>

<p><img alt="Laia Sanz perdeu uma posição na classificação geral, após queda na etapa final. Mesmo assim, obteve o melhor resultado de uma mulher no Dakar! " height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/laiafinaldakar_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /><br />
A espanhola Laia Sanz, da Honda, entrou para história da categoria ao ser a primeira mulher a completar o Rally Dakar na nona colocação do acumulado. No estágio final, Laia estava na segunda colocação no estágio 13, até o terceiro ponto de medição, quando teve problemas e perdeu posições. Ela superou o feito da francesa Christine Martin, também da Honda, que em 1981 terminou o trajeto disputado entre Europa e África na 10ª posição. "<span style="font-size: 13px; line-height: 1.6em;">Foi um rali difícil, onde muita coisa aconteceu e nós todos sofremos muito até o final. Na última etapa eu tive a minha única queda de todo o rali. Foi no atoleiro que se formou entre km 84 e 100. Até que o tempo estava indo muito bem, na segunda colocação na especial, mas ao chegar à lama complicou tudo. A pista estava fatal e a moto derrapou e cai, torcendo o guidão da moto, onde perdi alguns importantes minutos. </span><span style="font-size: 13px; line-height: 1.6em;">É claro que eu gostaria de terminar em oitava na geral, mas o Dakar tem surpresas até o último momento e temos de ser realistas, entre uma posição e outra não há muitas diferenças. Terminando em nono é um resultado incrível", declarou Laia, a "rainha do Dakar" na categoria motos. </span></p>

<p><img alt="Paulo Gonçalves e os companheiros do Honda Team HRC no pódio, comemorando o vice-campeonato, marcado por muito trabalho em equipe (e um pouco de falta de sorte)" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/paulodakar2015_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>O brasileiro Jean Azevedo  acabou o último trecho cronometrado deste ano em 24º lugar. O piloto da Honda South America Rally Team terminou sua 17ª participação na prova na 22ª posição da classificação geral.<br />
<br />
Confira abaixo, uma relação com todos os campeões do Dakar, na categoria motos e os modelos utilizados pelos vencedores.<br />
<br />
2015: Marc Coma (ESP) – KTM 450 Rally<br />
2014: Marc Coma (ESP) – KTM 450 Rally<br />
2013: Cyril Despres (FRA) – KTM 450 Rally<br />
2012: Cyril Despres (FRA) – KTM 450 Rally<br />
2011: Marc Coma (ESP) – KTM 450 Rally<br />
2010: Cyril Despres (FRA) – KTM 690 Rally<br />
2009: Marc Coma (ESP) – KTM 690 Rally<br />
2008: Cancelado<br />
2007: Cyril Despres (FRA) – KTM 690 Rally<br />
2006: Marc Coma (ESP) – KTM LC4 660 R<br />
2005: Cyril Despres (FRA) – KTM LC4 660 R<br />
2004: Nani Roma (ESP) – KTM LC4 660 R<br />
2003: Richard Sainct (FRA) – KTM LC4 660 R<br />
2002: Fabrizio Meoni (ITA) – KTM LC8 950R<br />
2001: Fabrizio Meoni (ITA) – KTM LC4 660 R<br />
2000: Richard Sainct (FRA) – BMW<br />
1999: Richard Sainct (FRA) – BMW<br />
1998: Stéphane Peterhansel (FRA) – Yamaha YZE850T<br />
1997: Stéphane Peterhansel (FRA) – Yamaha YZE850T<br />
1996: Edi Orioli (ITA) – Yamaha YZE850T<br />
1995: Stéphane Peterhansel (FRA) – Yamaha YZE850T<br />
1994: Edi Orioli (ITA) – Cagiva Elefant 900<br />
1993: Stéphane Peterhansel (FRA) – Yamaha YZE850T<br />
1992: Stéphane Peterhansel (FRA) – Yamaha YZE850T<br />
1991: Stéphane Peterhansel (FRA) – Yamaha YZE850T<br />
1990: Edi Orioli (ITA) – Cagiva Elefant 900<br />
1989: Gilles Lalay (FRA) – Honda NXR750V<br />
1988: Edi Orioli (ITA) – Honda NXR750V<br />
1987: Cyril Neveu (FRA) – Honda NXR750V<br />
1986: Cyril Neveu (FRA) – Honda NXR750V<br />
1985: Gaston Rahier (BEL) – BMW GS980R<br />
1984: Gaston Rahier (BEL) – BMW GS980R<br />
1983: Hubert Auriol (FRA) – BMW GS980R<br />
1982: Cyril Neveu (FRA) – Honda XL500R<br />
1981: Hubert Auriol (FRA) – BMW GS800R<br />
1980: Cyril Neveu (FRA) – Yamaha XT 500<br />
1979: Cyril Neveu (FRA) – Yamaha XT 500<br />
<br />
Resultados (extraoficiais) – 13ª etapa do Dakar – Motos<br />
<br />
1º Ivan Jakes (SVK) #21 (KTM) 52min06s<br />
2º Stefan Svitko (SVK) #18 (KTM) +45s<br />
3º Toby Price (AUS) #26 (KTM) 1min07s<br />
4º Paulo Gonçalves (POR) #7 (Honda) +1min15s<br />
5º Marc Coma (ESP) #1 (KTM) +3min11s<br />
<strong>24º Jean Azevedo (BRA) #24 (Honda) +16min21s</strong><br />
<br />
Resultados (extraoficiais) – Classificação geral do Dakar após 13 etapas – Motos<br />
<br />
1º Marc Coma (ESP) #1 (KTM) 46h03min49s<br />
2º Paulo Gonçalves (POR) #7 (Honda) +16min53s<br />
3º Toby Price (AUS) #26 (KTM) +23min14s<br />
4º Pablo Quintanilla (CHL) #31 (KTM) +38min38s<br />
5º Stefan Svitko (SVK) #18 (KTM) +44min17s<br />
<strong>22º Jean Azevedo (BRA) #24 (Honda) +6h44min13s</strong></p>

<p>Confira os vídeos do estágio final, incluíndo um com os melhores momentos do Dakar 2015, na categoria motos.</p>

<p><iframe allowfullscreen="" frameborder="0" height="349" src="//www.youtube.com/embed/Q2WEeD9PMEA?rel=0" width="620"></iframe></p>

<p> </p>

<p><iframe allowfullscreen="" frameborder="0" height="349" src="//www.youtube.com/embed/YVxM4vWY2zE?rel=0" width="620"></iframe></p>

Conteúdo Recomendado

Comentários