Card image
Competições
Brasileiros vão ao Enduro International Six Days, em Portugal

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 09/11/2019
  • Atualizado: 09/11/2019 às 10:24
  • Por: Willian Teixeira

Prova de enduro mais antiga e tradicional do calendário da FIM, a edição 2019 do International Six Days Enduro será realizada em Portugal a partir desta segunda-feira, dia 11 de novembro, e segue até o próximo sábado, dia 16. O evento acontece na cidade de Portimão, região de Algarve. Considerada a Copa do Mundo de Enduro, a competição foi disputada pela primeira vez em 1913 em Carlisle, na Inglaterra, e só deixou de ser realizada durante a Primeira e a Segunda Guerra Mundial.

O evento, que terá a participação de cerca de 700 competidores, reúne equipes formadas pelo melhores pilotos de cada país. E nesta edição, o Brasil será representado por Bruno Crivilin, Gabriel Soares e Nicolás Rodriguez, da equipe Honda Racing, Gustavo Pellin e Maurício Fernandes, da Power Husky, Vitor Borges Garcia, que compete pela MXF, além de Jesus Rodriguez Fernandez, que terá a missão de substituir o experiente Nielsen Bueno, que se lesionou nos treinos e não poderá competir.

Vitor Borges vai ao International Six Days com moto da MXF Motors
Vitor Borges disputa Enduro Six Days com motocicleta da MXF Motors (Divulgação)

Veja também:
Confira novidades da BMW e da Triumph para o EICMA 2019
Capacete de Ouro: conheça finalistas das categorias de moto
Vote no MOTO DE OURO e concorra a um KIT MOTOCICLISMO!

Aos 35 anos, Pellin segue para sua quarta participação no Six Days, e não esconde a empolgação para defender o Brasil pela primeira vez com a equipe Power Husky. “Neste ano disputar pela equipe Husqvarna será uma honra e estou com uma expectativa muito boa para competir com uma marca tão consagrada em competições internacionais”, afirma o piloto de Caxias do Sul, que competirá com uma Husqvarna FE501 pela categoria E3 (motores acima de 450cc, 4 tempos). Em 2017 na França, Pellin ganhou a medalha de ouro e, no ano passado, no Chile, ficou com a medalha de prata.

Gustavo Pellin vai ao International Six Days pela 4ª vez
Gustavo Pellin, da equipe Power Husky, vai ao Six Days pela 4ª vez (Janjão Santiago)

A bordo de uma Husqvarna FE250, Fernandes disputará pela E1, categoria para motos de até 250cc com motor 4 tempos. “Será a estreia da equipe Power Husky no Six Days. É uma prova desafiadora, dura e que exigirá muito dos pilotos e do equipamento. Estamos nos preparando para dar o nosso melhor. Infelizmente o Nielsen se machucou e não poderá estar, desta vez, com a gente”, explica Fernandes, que além de piloto é um dos sócios da 2W & Fernandes Group, que representa a Husqvarna no Brasil.

International Six Days terá participação de Mauricio Fernandes, da Power Husky
Mauricio Fernandes, da Power Husky, é o mais experiente dos brasileiros que vão ao International Six Days (Janjão Santiago)

Fernandes, de 48 anos, já possui uma vasta trajetória em competições internacionais, a última foi no RedBull Romaniacs 2017, prova que terminou na 16ª colocação., um dos eventos mais cobiçados do Hard Enduro Series no qual os pilotos são submetidos a condições extremas durante quatro dias no meio das florestas da Romênia.

Time Júnior

Liderados pelo multicampeão e chefe de equipe Felipe Zanol, o trio da Honda Racing, formado por Crivilin, Soares e Rodriguez representará o time Júnior do Brasil, para atletas até 23 anos. Eles competirão com a motocicleta CRF 450RX.

Mesmo com 22 anos, Crivilin é o mais experiente do grupo que disputa a categoria Júnior, com duas participações no Six Days. “Tento passar um pouco do que aprendi para eles. Como são seis dias, não adianta ir bem em um e ir mal nos outros. Tem que ser constante e terminar bem cada etapa. Estamos trabalhando muito o físico”, ressalta.

Pilotos da Honda Racing que vão ao International Six Days
Pilotos da Honda Racing formam o Time Júnior do Brasil no International Six Days (Janjão Santiago/Mundo Press)

O carioca Nicolás Rodriguez esteve em 2018 na competição. Porém, neste ano, uma lesão na perna o tirou das provas por cinco meses. “Por isso, minha prioridade é fazer o maior número de horas em cima da moto. Fizemos um treinamento intenso, treinando motocross e trilha. Estar na disputa Júnior é muito legal, porque vamos competir com pilotos da nossa idade”, destaca o jovem piloto de 22 anos.

Estreante na competição mais antiga e tradicional do calendário da FIM, Gabriel Soares comenta que participar do Six Days é a realização de um sonho. “Tenho dois companheiros de equipe que já fizeram a prova e isso facilita, já que sabem especificamente o que a gente precisa treinar”, comenta o mineiro, que também tem 22 anos.

Para Felipe Zanol, chefe da equipe Honda Racing de Enduro FIM, a participação do time no Six Days é muito importante, já que motos e pilotos serão testados ao extremo durante seis dias. “O objetivo principal é que a gente tenha um crescimento profissional dos nossos atletas, para que consigam um bom resultado e que possam evoluir técnica, física e psicologicamente para as corridas do Brasil em 2020”, finaliza.